ESTATÍSTICAS

Dados sobre o Câncer de Pele

  •  Uma pessoa morre a cada 3 horas por câncer de pele.

  • O tumor de pele matou 3.316 brasileiros somente em 2013

  • O câncer da pele corresponde a 25% dos tumores malignos registrados no Brasil. 

 

  • Os tumores da pele são os mais comuns devido à facilidade de diagnóstico. As lesões aparecem em áreas expostas e por isso são mais rapidamente percebidas pelo paciente. Em função disso também o câncer da pele pode chegar a uma taxa de 80% a 90% de cura.  

 

  • No mundo todo, não só no Brasil, o câncer da pele não é considerado estatisticamente, porque a taxa de mortalidade é baixa, apesar do número excessivo de casos do tipo menos agressivo, o não melanoma.

  • em dez anos, o número de mortes por câncer de pele cresceu 55% no país, segundo levantamento feito pela reportagem com base em dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

  • Entre os homens, a taxa de óbitos por 100 mil habitantes passou de 1,52 para 2,24 entre 2003 e 2013. Entre as mulheres, o índice cresceu de 0,96 para 1,29 por 100 mil no mesmo período.

  • As estatísticas do instituto mostram que idosos, homens e moradores da Região Sul do país são as principais vítimas do câncer de pele. Do total de mortes em 2013, 57% eram homens e 72% tinham mais de 60 anos. No Sul, a taxa de mortalidade no ano retrasado foi quase o dobro da registrada no país.

  • Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o câncer de pele é responsável por 66.000 mortes por ano em todo o mundo, 80% das quais causadas por melanomas. A cada ano que passa, a incidência deste mal aumenta. Mais da metade dos pacientes têm menos de 59 anos.

  • Segundo a Sociedade Americana de Câncer, mais de 3,5 milhões de casos da doença são diagnosticados anualmente nos Estados Unidos, mais do que todos os outros tipos de câncer combinados. No Brasil, são cerca de 190 mil novos casos todos os anos. O câncer de pele também é o de maior incidência no país.

  • Em 90% dos casos, a doença é provocada – basicamente – pela exposição excessiva ao sol.

  • Os tumores cutâneos não melanomas representam aproximadamente 96% dos casos de câncer de pele . Os tipos mais comuns são o carcinoma basocelular (CBC) e o carcinoma espinocelular (CEC).

  • Qual é o perfil de paciente que apresenta esse tipo de tumor?

Na maioria dos casos, principalmente dos melanomas, o paciente já tem mais de 40 anos. Uma pesquisa realizada no ambulatório de câncer da pele do Hospital Nereu Ramos, em Florianópolis, apontou que 75% dos pacientes têm mais de 30 anos de exposição, e 77% não usam protetor solar. De forma geral, é mais comum em pessoas de pele clara, chegando a 89% dos casos analisados. A pesquisa mostrou também que 72% dos pacientes exercem alguma atividade com exposição solar, sendo que 52% são agricultores.

  • Para 2016 a previsão era de que seria o o tipo de câncer mais incidente em ambos os sexos (não melanoma) 175.760 casos novos a cada ano, o que corresponde a 29% do total estimado do total

Fontes:

https://exame.abril.com.br/brasil/morte-por-cancer-de-pele-cresce-55-em-10-anos/

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/05/150508_saude_cancer_de_pele_lgb

https://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/cancer-de-pele-e-os-cuidados-durante-o-verao/

http://portalses.saude.sc.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1840&catid=740

http://www.inca.gov.br/wcm/dmdc/2016/numeros-cancer-brasil.asp

http://www.inca.gov.br/estimativa/2016/estimativa-2016-v11.pdf

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now